Tudo O Que Precisa Saber Sobre Depilação Permanente

Tudo o que Precisa Saber Sobre Depilação Permanente

Hoje venho falar-vos sobre um tema que toca a todos (ou quase todos): pelos!
Há anos que faço a depilação e a verdade é que se antigamente não me passava pela cabeça fazer a depilação com outra coisa que não cera, agora sei que as opções são imensas! Eu pessoalmente faço depilação a laser Diodo e gosto muito dos resultados. Nunca correu mal e a verdade é que consigo passar o verão sem pensar no assunto! Por receber imensas questões sobre o assunto, achei por bem achei falar da depilação a laser. Afinal em que consiste, qual a sua segurança e qual a sua eficácia?

O que é?

Existem vários tipos de tratamentos de remoção de pelos de longa duração, incluindo IPL (luz pulsada intensa) e laser (entre os quais está o Laser Diodo). O que varia de tratamento para tratamento é o tipo de onda e o seu comprimento. De uma forma geral, o objetivo é aplicar energia em forma de luz, para que esta seja captada pela melanina presente no pelo (é o pigmento que confere a cor escura), gerando calor e destruição do folículo piloso na sua totalidade. Por existirem diferentes fotótipos de pele (do mais clarinho ao mais escuro), o tratamento mais adequado varia, pelo que, para maior segurança e eficácia dos tratamentos, é essencial pedir informação junto da clínica e questionar qual será o tratamento mais adequado para o seu fototipo. Isto tem precisamente que ver com a questão da melanina! Pelos muito claros, com menos melanina, dificilmente terão bons resultados, precisamente porque o pelo não tem tanta capacidade para captar a onda de luz. Geralmente, os resultados são melhores quanto maior contraste entre o pelo e a pele. Ainda assim, hoje em dia, já estão disponíveis equipamentos que permitem o ajuste do laser e arrefecimento da pele de forma a aumentar a eficácia e segurança em fotótipos de pele mais escura!

É eficaz?

São vários os estudos que demonstram a eficácia da depilação com laser Diodo e IPL na diminuição dos pelos de forma prolongada. Contudo é importante ter algumas considerações:

1. Para que os resultados sejam notáveis, é importante a realização de múltiplos tratamentos nos intervalos aconselhados, de forma a cobrir a fase de crescimento de todos os pelos. A quantidade de tratamentos necessária varia dependendo do fototipo de cada pessoa, e pode variar entre 4 a 8 sessões.

2. A altura mais adequada para realização dos tratamentos é quando a pele está mais clarinha e o pelo mais escuro (idealmente no Inverno, em que estamos menos morenas/os).

3. Os cuidados pré e pós tratamento são igualmente importantes: tais como, cuidado com a exposição solar, proteção UVA e UVB e hidratação da pele.

Quais são os riscos?

A segurança destes tratamentos tem sido demonstrada em múltiplos estudos, e grande parte dos efeitos adversos relacionaram-se com casos realizados por técnicos inexperientes ou sem formação especifica na área. Assim, é importante investir em tratamentos que sejam feitos em clínicas de confiança e realizados por profissionais especializados. Os efeitos adversos mais frequentes incluem dor, queimaduras ligeiras, despigmentação, inchaço ou manchas, e estes geralmente podem ser prevenidos com os cuidados pré e pós tratamento. Relativamente ao risco de cancro, é importante perceber que o laser ou feixe de luz permanece na camada superficial da pele e que, portanto, não está associado a dano nas células mais profundas. Atualmente, não há evidencia nenhuma que comprove esta associação, e os estudos continuam a apontar para a sua segurança a longo prazo.

Conclusão

Com base na evidencia disponível até hoje, podemos dizer que a depilação com IPL e laser Diodo são procedimentos eficazes e seguros. Os efeitos secundários, apesar de raros, podem acontecer, mas são geralmente a curto prazo e podem ser evitados numa clinica de confiança. Eu pessoalmente faço e tenho gostado muito dos resultados. Mesmo estando a aproximar-se o Inverno, como vou bastante ao ginásio dá imenso jeito não ter de me preocupar e aproveito para chegar ao próximo verão já sem pelos.

Bibliografia:
1. DiBernardo BE, Perez J, Usal H et al. Laser hair removal: where are we now? Plast Reconstr Surg 1999; 104: 247–257. 4 Dierickx C, Alora MB, Dover JS. A clinical overview of hair removal using lasers and light sources. Dermatol Clin 1999; 17: 357–366.
2. Liew SH. Unwanted body hair and its removal: a review. Dermatol Surg 1999; 25:431–439.
3. Olsen EA. Methods of hair removal. J Am Acad Dermatol 1999; 40: 143–155.
4. Haedersdal M1, Haak CS., Hair removal., Curr Probl Dermatol. 2011;42:111-21. doi:10.1159/000328272. Epub 2011 Aug 16.

Back To Top